Viva o presente

Iiiii, lá vem mais um post reflexivo rsrs. Estava pensando sobre a efemeridade da vida e as distâncias que separam a gente das pessoas que conhecemos por aí. Desde que sai de casa aos 16 anos para estudar na UEL – Universidade Estadual de Londrina, que larguei e fui para UNESP em seguida, a estrada e as despedidas tem sido constantes. Mesmo assim, apesar de amar a estrada, de me sentir muito familiar nas rodoviárias e aeroportos da vida, eu sempre sonhei em criar raízes, sabe, aquela coisa de mulherzinha, de casar, ter dois ou três filhos, um cachorro vira-latas e um cama enorme com edredom branco? É um sonho de muito tempo, no entanto, parece super distante, descobri o prazer e a mazela de estar solteira, de agir como se eu não tivesse o sonho careta que toda a menina tem e tentar equilibrar isso com a vontade louca de viver o presente. Sem pensar no que vão pensar, buscar ser feliz no presente, sem esperar nada do futuro.  Desfrutar, no entanto a gente sempre julga e está sendo julgada, ao mesmo tempo que sempre se apega, e isso fica mais difícil quanto mais independentes somos ou parecemos ser.

 

No filme Antes do Amanhecer, um casal tem apenas uma noite para se conhecer. Você se renderia ou deixaria passar, lutando contra um instinto que grita dentro de você?

Não é fácil viver o presente quando se é tão ansiosa, e quando a vida parece escorrer por entre os dedos. Não é fácil quando se vive combustões de desejo. Queria mentir e dizer que não espero nada, que é possível não se apegar a alguém. Não é. Com a vida a gente cria calos nas nossas esperanças e em nossos sonhos, com o passar do tempo, a gente se acostuma com o cotidiano, com a dor, com não lutar.

Enquanto não crio raízes por aí, tenho meus momentos de balão, voando sem um destino, até estourar ou me perder.

Praticar a difícil arte de não se iludir, e ao menos de não se conter. Tudo de uma vez para superar muito tempo vazio. Viver o presente, sem olhar para trás ou para frente, como se fosse o último dia.

O que eu queria dizer, é que sempre pagamos um preço por nossas escolhas, as vezes é uma impressão mal causada ou um coração partido, viver o presente pode assustar a maior parte da humanidade. Mas mesmo assim, não podemos perder a vontade de viver, e de as vezes fazer o que todo mundo inclusive a gente mesmo, considera loucura, porque a vida é um prato cheio e estamos com fome. E viva as loucuras da vida, o instante que não se pode deixar passar, pareço completamente louca, estando completamente sóbria, buscando a alegria do presente, a felicidade em doses homeopáticas que a vida me serve e eu não posso perder. Tentar viver e amar a vida, mesmo ela sendo tão difícil e solitária a maior parte do tempo.

2 ideias sobre “Viva o presente

  1. Amiga eu concordo com vc, temos que usar do presente o máximo que ele nos oferece. Qdo solteira eu aproveitei tanto em questão de me divertir e dos meus estudos, achava que nunca iria amar alguém ao ponto de casar pois vivia muito ocupada com a carreira e era feliz na minha vida de solteira. De repente, não mais do que de repente, conheci o Chris e a vida mudou completamente. Eu entrei de cabeça nesse história aproveitando o máximo também essa nova fase. Então concordo muito com vc em tudo que vc disse, mas estava aqui pensando que vc tem cara que daria mais certo com um rapaz estrangeiro, o que vc acha? Beijos

Os comentários estão fechados.