Elvis

Olá meninas, I´m back! Desculpem pela demora em postar, mas eu estou fazendo cursos online, dissertação para o mestrado, emprego oficial e freelas, além de jazz yôga e mais minha complexa vida pessoal auhauha, mas estamos de volta ipi ipi e em breve com mais novidades! Uma coisa supimpa que me aconteceu foi ir à exposição Elvis Experience com minha mãe estes tempos, amo o Rei do Rock e segue abaixo alguns momentos de lá:

Eu na reprodução da sala de gravação do rei do rock!

Me senti nos anos cinquenta!

Produtos super hype para fãs.

O guarda-roupa de Elvis sempre será um dos mais originais de todos! Incrível mesmo!

Um grammy original na sala de discos de ouro.


Um dos casais mais lindos e famosos de todos os tempos: Elvis e Priscila, minha mãe que foi quem me levou na exposição disse que tirar a foto ia me atrair sorte no amor, tomara!

 Elvis fez dezenas de filmes também, além de lindo, ele era muito talentoso e esforçado.

Amo as roupas do rei do rock que ele mesmo pensava as formas e brilhos inspirados na cultura black.

Eu acho o Elvis bonitão em todas as fases mas morro na forma dele no ínicio de seus trinta anos, em seu auge tanto de talento como de beleza, não adianta esse cara quebrou barreiras, misturou gingado negro com música branca em uma época super racista, ele literalmente sacudiu o mundo e tinha muito sexy appeal e uma voz poderosíssima. Elvis sempre será rei e único.

Beijos e prometo não me ausentar tanto d blog nunca mais rsrsr!

Its only rock and roll

Hoje é o dia do ritmo mais poderoso de todos os tempos: 13 de julho, dia de rock bebê!

Ano passado eu fiz um post com algumas roqueiras famigeradas, este ano, resolvi contar um pouco da minha experiência com o ritmo eternamente jovem e rebelde. Prepare-se para imagens chocantes e em baixa resolução do fundo do meu baú e do meu antigo fotolog, (que eu diferente da Shame descoberta fiz questão de deletar anos atrás uahuah).

Eu e minha Ibanez!

Quando criança graças ao Cinema em Casa do SBT eu pude ver dezenas de filmes sobre os Beatles, John Lennon e Elvis Presley, mas foi aos onze anos, esperando minha mãe dentro do carro, só para variar um pouco, que mudando as estações do rádio, escutei uma melodia que mudou para sempre o meu mundo: era o riff de I Want It All do Queen, em uma rádio pirata com um programa de nostalgia, minha cabeça embaralhou, fui atrás do Queen, de revistas (sempre amei revistas) e acabei conhecendo sozinha The Doors, Nirvana, Legião Urbana, Ramones e a banda que ia ser para sempre my dear: Led Zeppelin. Eu fui uma adolescente super rebeldinha, que queria ser rockstar e para isso tcharam entrei nas aulas de guitarra, assim mesmo sem violão, e foi aí que meu professor vendo minha dificuldade absurda para bases me ensinou os solos de Fear of The Dark do Iron Maiden, nascia um outro amor: o Heavy Metal, cuja filosofia de vida se aplicava mais naquele momento pré-vestibular: todos sabemos que o metal nacional é bem careta, apesar de super talentoso e eu estava de acordo com o lifestyle total black.


O David (Stalker) realizou meu sonho fazendo minha montagem com o Angra uhauhaua (na época montagens eram o must), detalhe eu tinha 16 anos nesta foto!


Eu, Katherine (que era aqui do blog), Kinjyo, Gui e Arley (Move Over) com a Dirty em Sorocaba.

Tentei ter bandas em Birigui, cheguei a fazer um show “memorável” tocando apenas uma música uahauhauha que interrompi quando começaram a gritar Sandy (tá havia uma pequenina semelhança uahauhauha). Fui para Londrina onde tive minha primeira banda séria, aliás duas! De lá vim para Bauru e passei a estudar Guitarra no IG&T em São Paulo uma vez por semana e tive uma banda ótima por lá, alguns integrantes hoje vivem só de música, eu resolvi ficar só em Bauru, onde passei um tempo tocando grunge (não gosto) em baladinhas e até em outra cidade, depois tentei formar uma banda só de meninas que foi um tremendo fiasco. Diante do fracasso, aposentei minha guitar e o sonho de ser a primeira mulher guitar hero da história lol. Mas continuei com meu amor pela música e pelo rock, além de uma tatuagem com a partitura inicial de Rebirth do Angra (fui até do fã-clube, dois anos seguidos rsrs).


Eu em mais uma montagem mirabolante com a guitarra lol, esta foi a minha primeira guitarra oun… ganhei com 15 anos!

Acredito que rock é atitude, falar o que pensa, vestir-se como quer e sonhar com um mundo melhor. Acredito que para ser roqueira não é preciso perder a feminilidade e se comportar como o Lemmy. É preciso encontrar o próprio estilo, ser você mesma sempre.

O rock me trouxe amigos, amores, alegrias, também problemas, desilusões, preconceitos (experimente ser a única mulher em bandas do interior paulista ou paranaense, é tenso) boas risadas, letras que valem mais que metade dos livros publicados e principalmente sonhos. So, keep on rockin in the free world!

João Rock


No último sábado eu fui para Ribeirão Preto, São Paulo, para o João Rock, um dos maiores festivais de rock nacionais!


Todas as tribos, em um único local, o João Rock contou com dois palcos principais, e um Fora do Eixo, roda gigante, pista de skate, bungee jump, motocross,  praça de alimentação, e um set list nacional forte:

Banda CNA

Agridoce – Pitty e Martin

Zeca Baleiro

Monobloco

Jota Quest

Charlie Brown Jr

O Rappa

CPM22

Criolo


Juliana Ramos e eu clicadas no G1 rsrs: http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/fotos/2012/06/veja-fotos-do-festival-joao-rock-em-ribeirao.html#F486068


Contras: para credenciamento de imprensa, a placa estava errada no guichê, com a de retiradas de ingresso de quem comprou pela internet, nunca tinha visto isso na vida: filas intermináveis e muita confusão, como assim colocam placa errada? Outra coisa, não existia ficha para bebidas, a mesma pessoa que cobrava era quem te dava a bebida, o que fazia este ritual ser super cansativo, e, por último o atraso das bandas, Criolo entrou no palco mais de duas horas depois do horário previsto minha gente!

Eu e a Ju para o Caderno Mais de Ribeirão.
Voltando para o Festival, melhores momentos na minha opinião: Pitty cantando Porto, Chorão do Charlie Brown super empolgado com a volta de ex-integrantes da banda e o Rappa com Chorão no palco. Melhores show para eu: Pitty e Zeca Baleiro.
João Rock 2012: rocks bebê!
Bjo boa semana!

Florence!

A Florence Welch do Florence and The Machine é super estilosa, então por isso ela foi escolhida para hoje:

 Tons dourados super combinam com o ruivo forte dos cabelos da Florence.

Diferentes casacos e diferentes jeitos de usá-los!

Pretinhos e a mesma pose em tapetes vermelhos da vida! Florence tem 25 anos, é londrina de origem judaica.

Uma música que eu adoro e espero cantar em breve uahuahau:

 

Florence demonstra porquê virou ícone fashion: muita elegância com esse longo cinza m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o!

Tom neutro que valoriza o contraste da pele com o cabelo. A ruiva já superou a bulimia, dislexia e a insônia para conseguir realizar o sonho de infância em 2009: o sucesso na carreira musical.

Branco e preto e diferentes versões, adorei a bolsa em forma de boca! Tanto estilo fez a Florence ser convidada para ser capa de algumas revistas de sucesso de moda e também estrela da campanha de Gucci. Veja um croqui de um figurino feito pela Gucci para a ruiva mais famosa do momento:

Sempre o mesmo penteado e as vezes um chapéu aqui e acolá. A Florence já ganhou diversos prêmios musicais com seus músicos sob o nome de Florence and The Machine ou Florence + Machine. Eles lançaram dois álbuns indie folk de grande sucesso mundial e fazem parte da nova geração de brit bands do rock.

Um clipe com uma música que vem a calhar para meu momento – Shake it out:

Coachella 2012

E rolou há poucos dias a versão 2012 do Coachella, um dos festivais de música mais famosos do mundo. Foram 3 dias de sol e rock and roll na cidade de Indio na California e como sempre os famosos compareceram em peso:


Casal Vampire´s Diary: Ian divo e Nina sempre bem vestida, adoro os looks dela!


Diane Kruger de descolada chique, aliás ela é sempre chique! Tali Lennox bem country e Sky Ferreira jeans addict!


Fergie como folk woman e o boy magia Josh Duhamel.


Como sempre o estilo boho predominou no festival.


Emma Watson versão super rocker, Kate Perry punk-colour e Kate Bosworth de galochas e pernas muito finas!


Minha escolha de muso do festival: Jared Letto em versão metal, só podia aparar a barba, né gato! Te amo desde que você era só o Heféstion de Alexandre!


Lindsay: força menina! Adoramos te ver sorrindo com todos os dentes, jovem e de bem com a vida!

E a banda mais divertida do festival:


Xoxo!

Looks do Lollapalooza


Diferente da diva Joan Jett (acima) eu não fui no Lollapalooza, mas acompanhei a cobertura de fotos e os twittes desesperados de 90 por cento das minhas rede sociais de nacionalidade brasuca rsrsrs. Poham gente, vai curtir o show e twita quando chegar em casa ou no caminho de volta, tenso hein ¬¬. Antes que me chamem de chatonilda, não fui porque não me interessei, não ia pagar super caro para ver bandas que só acho legalzinhas e não amo de s2 uahuhahua, mas meu amigos que foram amaram, idolatraram e super vão repetir a dose se tiver o segundo, que eu espero traga alguma banda que me faça encarar o ingressinho facada (Florence ou The Killers? Afinal as de metal vem sozinhas sem festivais hehehe, salve Iron Maiden – que ok estreou no Brasil em um festival em 1984!)

Thaila Ayala colocou um estilo meio punk, mas errou feio ao por todas as pulseiras que tinha, parece que tá revendendo, gostei não…


Giovanna Lancelotti, ex-Pelanza, mandou bem no look rock glam. As pulseiras dela são diferentes entre si, mas conversam super bem com o look.


Curto rock e uso branco rsrsrs, o casal Di Ferrero e Mariana Rios foram básicos e urbanos, aliás vou contar um segredinho, das bandas emos nacionais a única que eu me simpatizo é o NX Zero! Cedo ou Tarde é o marco de uma era para mim uahuahau.


Bel Garcia,  Bluebell, em look Pin up rocker

As precavidas levaram chapéu e óculos de sol e protetor solar por favor minha gente!


Cabelos coloridos!

Fotos: Terra e MSN.

Bom is this it girls, xoxo e uma ótima semana para todas nós!

Rock in Rio em um dia de rock (milagre)

Finalmente chegou o único dia que que gostaria de assistir do Rock in Rio, o dia metal (ps, também adoraria ver o show da Shakira 🙂 ). Com o público mais internacionalizado do evento, veio gente de toda a América Latina para assistir a Metallica, Motorhead, Sepultura, Angra e Tarja. Não fui $$$, mas aqui está o que considero mais bacana desse dia pimpante e muito elegante no pretinho básico:

Edu Falaschi do Angra e Tarja Turunen.

Detalhes de acessórios super bacanudos.

A menina que tirou a blusa para mostrar tatuagens para um fotógrafo é retirada pelos seguranças. Tenho que fazer meu protesto aqui: a gente vive mesmo num país hiper hipócrita. Caras tiram a camisa o tempo todo, mas a menina não pode tirar a camiseta e mostrar um sutiã maior que 90 por cento dos bíquinis nacionais que já é chamada de tudo que é nome e um monte de pseudo-homens se sentem no direito de invadir o corpo dela. Que educação é essa meu Brasil? Ps: meninos lindos do meu país que frequentam shows, vocês nunca terão aqui o que acontece no Wacken Open Air ou no AC/DC e Ozzy USA, porque vocês não tem uma evolução básica humana de respeitar as mulheres. Respeito é bom e todos tem o direito sobre o próprio corpo, oras!

Para finalizar o cara que eu mais amei na adolescência, idolatrei e cuja composição é minha tatoo no pé direito: Rafael Bittencourt s2 s2 forever!
Ps: meninas aguardem pois em breve novidades fashion por aqui! Bjo bjo

Festivais de Rock

Hi galerinha, tá rolando o Rock in Rio (que eu não fui snif) e vai rolar mais vários festivais pelo Brasil afora: SWU (não vou porque tenho um amigo que vai casar bem no dia que eu queria ir, o do Simple Plan), Terra e assim por diante….
Bom sinceramente acho super fail o Rock in Rio ter axé e outras maracutaias, pow então tira o rock do nome… como já disse minha professora da terceira série primária, D. Mercedes: Não confunda alho com bugalhos!
Mas o festival de $Medina$ já teve bons momentos:

Queen no que segundo Freddie Mercury foi a melhor apresentação de toda a história da banda!

Steve Harrys (s2 s2) e Dave Murray do Iron Maiden fazendo turismo nas folgas do palco no Rio de 1985.

A primeira apresentação do Iron Maiden na América Latina, no Rock in Rio 1985. O festival vinha após a abertura política depois de décadas de ditadura, trazendo uma oportunidade única de encontro de jovens de todo os país que curtiam uma música mais pesada, de protesto e que eram marginalizados por tais escolhas.

Eu gosto de ir super mega confortável para shows de Rock, e sinceramente tá muito super calor, então minha amiga, menos é mais rsrsrs! E na bolsa, que por favor sempre deve ser transversal em show, não esqueça de levar dinheiro vivo, um documento com foto (deixe os excessos em casa!) chiclete e vê se é permitido a entrada de máquina fotográfica. E se joga no som!

O SWU além de música tem uma proposta ecológica, de conscientização e utilização de recursos.

Rock Divas

13 de julho, quarta-feira normal… not! Hoje se comemora o Dia Mundial do Rock! E que tal lembrarmos de algumas divas desse estilo que ainda hoje é dominado pelos meninos, mas que aos poucos com muito batom e atitude vem sendo invadido pelas meninas!

July 13, normal wednesday… not! Today marks the World Day of Rock! So, let´s remember few divas from this music style that is still dominated by boys, but released very slowly with a lot of lipstick and attitude has been invaded by girls!

Angela Gossow da banda sueca Arch Enemy, a italiana Cristina Scabbia do Lacuna Coil e a norueguesa Vibeke Stene. Toque feminino no heavy metal!

Angela Gossow of the swedish band Arch Enemy, the italian Cristina Scabbia of Lacuna Coil and the norwegian Vibeke Stene. Feminine touch in heavy metal!


A alemã Doro Pesch foi uma das pioneiras das mulheres no mundo outrora machista do metal.

Doro Pesch, the german girl was one of the first women in formerly male-dominated world of metal!


Jennifer Ayache, lider da banda francesa Superbus, a diva Debbie Harris do Blondie (quem nunca cantou Maria?) e a baiana Pitty.

Jennifer Ayache, leader of the french band Superbus, the diva Debbie Harris from Blondie (who never sang Maria?) and the brazillian Pitty.

As alternativas Pj Harvey, Melissa Auf der Maur (a menina do Smashing Pumpkins) e Nicole Fiorentino do Veruca Salt.

The alternatives PJ Harvey, Melissa Auf der Maur (the girl from Smashing Pumpkins) and Nicole Fiorentino, bass player at Veruca Salt.


A Meg White que com muita classe arrasa na bateria!

The Meg White with a lot of class crushes on drums!


E para fechar nossa homenagem Lita Ford, a única mulher na lista dos 50 maiores guitarristas de todos os tempos, Rita Lee, nossa tia do Rock e a radical Joan Jett.

And to close our tribute Lita Ford, the only woman in the top 50 greatest guitarists of all times, Rita Lee, our rock´s aunt and the radical Joan Jett.


E para esse dia tão feliz um hino em homenagem a Esse Tal de Roque Enrow:

And for this so happy day a song in tribute to this rock:

Almost Famous


Com certeza um dos melhores filmes sobre rock and roll já feito: Quase Famosos (Almost Famous) dirigido pelo diretor Cameron Crowe é uma espécie de autobiografia que conta a história de um menino de 15 anos que relata a turnê de uma banda em ascensão para a Rolling Stone.

Surely one of the best movies about rock and roll ever made: Almost Famous, directed by Cameron Crowe is a kind of autobiography that tells the story of a boy with 15 years old who reported a band tour for the Rolling Stone magazine.

O filme lançado em 2000 retrata o auge do rock dos anos 70: as músicas, os sonhos, as groupies e as trips que envolviam o mito por trás da palavra “rockstar”.

The film released in 2000 depicts the heyday of 70’s rock: the songs, the dreams, the groupies and the trips that involved the myth behind the word “rockstar”

O estilão folk, hippie depojado é o que predomina. O filme levou a estatueta do Oscar como melhor roteiro original!

The folk style, hippie way of life is predominant. The film took the Oscar statuette for best original screenplay!

A banda fictícia Stillwater teria sido inspirada numa das maiores bandas de todos os tempos: Led Zeppelin!

The fictional band Stillwater have been inspired by one of the greatest bands of all times: Led Zeppelin!

Penny Lane (Kate Hudson) é a representação das groupies mitológicas dos anos 70: o que elas amavam era a música!

Penny Lane (Kate Hudson) is a representantion of the mythological groupies of the 70´s: what they loved was the music!

Estilo da Penny: batinhas e tops bem leves e soltinhos, muitas pernas e barriga à mostra.

Penny Style: tops very light and fluffy, many legs and belly on display.

O estilo folk é o que prevalecia. Adorei essas botas!

The folk style is what prevailed. I loved these boots.


É um dos meus filmes preferidos: ótima trilha sonora e roteiro maravilhoso! Super recomendo!

It’s one of my favorite movies: great soundtrack and wonderful script! Super recommended!