Moulin Rouge

Moulin Rouge  é um cabaré tradicional, construído no ano de 1889, situado em  Montmartre, em Paris. É famoso pelo moinho vermelho no terraço do seu edifício.

 DSC04552

É um símbolo emblemático da noite parisiense, tem uma rica história ligada à boemia da cidade e foi inspiração para o filme de mesmo nome:

Moulin Rouge 1

Logo na entrada, sempre há muita fila, chegue com antecedência para poder escolher um lugar bacana. Seu ingresso deve ser comprado antecipadamente (http://www.moulinrouge.fr/)

DSC04571

No corredor e no banheiro há diversas obras de Toulouse-Lautrec, são imagens coloridas inspiradas  no Moulin Rouge.

  DSC04575

Essa é a porta do banheiro:

DSC04592

E ao entrar no salão:

 DSC04577

Minha mesa ficava bem pertinho do palco:

 DSC04580

O show é bem variado, há belíssimas dançarinas de Cancan, um espetáculo que me remeteu ao nosso carnaval, pelos penachos e brilhos das vestimentas:

moulin-rouge-show 

Há também apresentação de malabarismo, contorcionismo, show de mágica com participação do público, cantores, uma moça mergulhando num tanque de cobras e uma dança com os mini cavalinhos, muito fofos por sinal: 

 petits_chevaux_du_moulin_rouge_copyright_moulin_rouge_950x600

No fim do espetáculo, pose para a foto (com as amigas russas que conheci por lá):

 DSC04596

Super indico o passeio, principalmente se for sua primeira vez em Paris: É um clássico!

Torre Eiffel

DSC04782

Este ano estive em Paris, e não pude deixar de conhecer pessoalmente o cartão postal da cidade, a Torre Eiffel.

Seu criador foi Gustave Alexandre Eiffel, por isso o nome. Eiffel era conhecido pelas suas pontes ferroviárias e observatórios astronômicos de Bordeaux e Nice, na Hungria e também em Portugal. Conforme Eiffel a linguagem técnica condizia com a beleza e a elegância de fórmulas matemáticas: “As curvas do monumento darão ao todo a impressão de força e beleza. O colossal exerce uma certa magia, um charme próprio, que não corresponde a nenhuma teoria clássica das artes”.

Foi exatamente esse sentimento que tive ao vê-la!

DSC04758

Tour Eiffel, em francês, é uma torre treliça, de  ferro, do séc XIX, localizada no Champ de Mars. Hoje é o monumento pago mais visitado do mundo.

Por isso fica a dica: Reserve seu ingresso comprando antecipadamente pelo site e com hora marcada, evitando filas quilométricas e garantindo sua subida!

O site é http://www.tour-eiffel.fr/

A torre possui 324 metros de altura, e tem três níveis para os visitantes:

historia-torre-eiffel2

A caminhada para o primeiro nível é superior a 300 degraus, masa subida pode ser feita  pelo elevador. Já o terceiro e mais alto nível só é acessível por elevador mesmo.

DSC04780 DSC04786

Do primeiro andar vê-se a cidade inteira:

DSC04802 DSC04791

DSC04803 DSC04794

O projeto da Torre Eiffel foi criada para ser a peça central para a Feira Mundial, que iria comemorar o centenário da Revolução Francesa. O projeto foi exibido na Feira de Artes Decorativas, no outono de 1884, com o nome da empresa de Eiffel.

historia-torre-eiffel10

Em 30 de março de 1885 Eiffel apresentou um artigo com o projeto na Société des Ingiénieurs Civils; depois de discutir os problemas teóricos e ter enfatizado o uso prático da torre, ele terminou sua palestra mencionando que a torre iria simbolizar. Depois de algum debate sobre o local exato para a torre, um contrato foi finalmente assinado em 8 de janeiro de 1887. Este foi assinado por Eiffel como particular, não como representante de sua empresa, concedendo-lhe 1,5 milhões de francos para os custos de construção: menos de um quarto dos cerca de 6,5 milhões de francos necessários para a construção. Por outro lado Eiffel deveria receber todas as receitas provenientes da exploração comercial da torre durante a exposição e os 20 anos seguintes. Eiffel mais tarde criou uma empresa específica para gerir a torre, colocando ele mesmo a metade do capital necessário.

Uma amiga me disse que lá em cima eu encontraria muitos sonhos, porém, lá, eu realizei o meu, foi emocionante! E também um pouco frio, porque no topo o vento é forte (leve um casaco).

DSC04808

Um dado interessante: Recentemente estive em Manaus (por aí vem muitos posts), e descobri que no teto do Teatro amazonas, que foi pintado na França, é representada a Torre Eiffel vista de baixo:

IMG_5102

Até a próxima!

O castelo da Princesa Aurora

Disneyland Paris é o principal e o primeiro dos dois parques temáticos da Disneyland Resort Paris, inaugurado em 1992.  O castelo foi concebido especialmente para a Europa, que é o lugar originário destas construções.

castelo-das-bela-adormecida-paris28957

A Disneyland Paris é acessível através da estação de metro  Marne-la-Vallée – Chessy, uma hora de distancia do centro de Paris. E é neste parque que fica o castelo da Bela Adormecida.

DSC04652

Princesa Aurora é a protagonista na versão da Disney de 1959 de A Bela Adormecida.

DSC04645

A personagem foi baseada na versão francesa do conto de Charles Perrault, escrito em 1634, em Contes du Temps Passé. Ela foi a terceira princesa que entrou na franquia Disney Princesas, após a  Branca de Neve e a Cinderela.

PrincesaAurora

Criada por Walt Disney e animada por Marc Davis, Aurora é a princesa de um reino fictício inglês e a única filha do rei Stefan e da Rainha Leah.

DSC04644

Ao nascer, foi previsto pelas fadas: Bela voz e beleza física, mas ela foi amaldiçoada pela fada má Malévola dizendo que no dia de seu aniversário de 16 anos, ela iria picar o dedo no fuso de uma roca de fiar e morreria.

DSC04643

O feitiço foi alterado para um sono profundo por uma das três fadas boas,

DSC04647

sono do qual ela iria despertar com o beijo verdadeiro de amor.

DSC04649

Uma curiosidade sobre Aurora é que o projeto da personagem original foi modelado a partir das características finas da atriz Audrey Hapburn.

audrey_hepburn_by_dtran29-d5ci640

 Aurora é  é descrita como tímida e sofisticada, e como toda princesa uma romântica incurável.

DSC04651

Por conta da comemoração dos 20 anos do parque ao fim do dia ocorre um show de luzes e cores, animação que altera as formas do castelo e show de fogos, eu estive lá no dia do meu aniversário deste ano, foi uma linda festa.

DSC04627

O show é emocionante, esse é um dos vídeos que podem ser encontrados: https://www.youtube.com/watch?v=s5VzYqCbjig mas estar lá e ver com os próprios olhos faz parte da emoção, se puder vá enquanto é tempo!

Crème brûlée

De todos os países da Europa a França era o que eu
mais queria conhecer, mais especificamente Paris, mas nunca é tempo suficiente (independentemente
de quanto tempo voce fique por lá) para ver tudo o que de mais incrível existe, mas essa minha viagem
tinha um dos pontos bem estabelecidos, eu precisava experimentar um crème brûlée.

Algumas pessoas já me perguntaram o que é um crème brûlée, então segue a receita:

Ingredientes
5 gemas
1/3 xícara (chá) de açúcar, 350 ml de creme de leite fresco, 100 ml de leite, 1 1/2 colher (chá) de essência de baunilha, açúcar para caramelizar
Modo de Preparo
1. Preaqueça o forno a 160°C (temperatura média-baixa).2. Separe as claras das gemas. (As claras não serão utilizadas nesta receita, mas você pode guardá-las para preparar um pudim de claras.)3. Coloque as gemas na tigela pequena da batedeira. Junte o açúcar e bata em velocidade alta até obter um creme bem claro.4. Pare de bater e adicione o creme de leite, o leite e a essência de baunilha. Misture bem com uma colher. Deixe a mistura descansar por 10 minutos.Enquanto isso, leve uma panela com água ao fogo alto.Ela será usada para o banho-maria.5. Com uma colher, retire toda a espuma que se formou na superfície da mistura de gemas. Distribua o creme entre seis tigelinhas refratárias (que possam ir ao forno) 6. Arrume as tigelinhas numa assadeira retangular. Leve a assadeira ao forno e, antes de fechar a porta, coloque água fervendo na assadeira, com cuidado, para assar em banho-maria. Deixe assar por 40 minutos. 7. Retire a assadeira do forno e as tigelinhas do banho-maria. Deixe esfriar e leve à geladeira por no mínimo 6 horas. 8. No momento de servir, polvilhe açúcar sobre toda a superfície do creme. 9. Coloque uma colher de sopa na chama do fogão para aquecer bem. Use uma luva, ou pano de prato dobrado, para não se queimar! 10. Encoste as costas da colher quente na superfície do creme, fazendo movimentos circulares, para caramelizar o açúcar. Caso precise, repita esta operação até caramelizar toda a superfície, mas não deixe queimar demais o açúcar.

Imagino que vocês não vão fazer essa receita, nem é esse o objetivo, mas a história deste maravilhoso doce criado em 1691 começou na minha vida no começo dos anos 2000, quando fui ao cinema assistir aquele que se tornaria um dos meus filmes favoritos: Le fabuleux destin d’Amélie Poulain (no Brasil, O Fabuloso Destino de Amélie Poulain),um filme francês dirigido por Jean-Pierre Jeunet.

E no começo do filme surge o  crème brûlée :

https://www.youtube.com/watch?v=mmllotLUU38

Desde então eu sonhava com esta saborosa iguaria, e era o doce de Amélie que eu precisava comer! Não adiantava fazer em casa… Então nesta viagem pude realizar meu sonho alimentício!

É muito conhecida essa informação, mas se você não sabe o Café onde Amélie trabalhava, o Cafe des Deux Moulins, existe! É é muito fácil de chegar, fica no Montmartre, pertinho do Moulin Rouge, dá pra ir de metrô, muito simples!

O atendimento lá é ótimo, os garçons são lindos, muito educados e sim falam inglês!

O lugar é aconchegante, quentinho, escurinho e tem até uma TV antiga como decoração (sou amante de TVs)

Tem também uma foto da Amélie

Finalmente pedi meu creme brulle, e com direito a acompanhamento de chocolate quente com muito chantilly!

Quando ele chegou, era tão lindo! E saboroso! Era o sabor que eu imaginava! O sabor do sucesso ! O crème brûlée da Amélie era o meu crème brûlée e eu quebrei em mil pedacinhos aquela casquinha.

Pra completar antes de ir embora eu precisava conhecer o banheiro, onde tive mais uma grata surpresa: Objetos do filme. Imagino o que o porquinho falou de mim depois que fui embora.

Conheci alguns franceses que não conheciam o filme, então se você que é do Brasil e não conhece eu entendo, por isso indico! É um filme muito bonito tanto pela história quanto pelas imagens dos locais, que você como eu com certeza vai querer visitar!

Após essa aventura continuei passeando pelo Montmartre e fui à Catedral de Sacré Coeur, a igreja linda que aparece no filme, e tive mais uma surpresa, apesar de ser noite, a igreja estava aberta, e estava começando uma missa, foi linda! A missa mais linda que eu já acompanhei (apesar de eu não entender muito de francês).

Foi minha última noite em Paris e foi inesquecível!

Vitrines francesas

Olá meninas e entrando no clima natalino, vamos tratar um pouco sobre decorações de vitrines natalinas!

Chiqueza e exotismo, com muita luz, permeiam a cidade luz!

Vitrine da Printemps arrasou muito!


Trabalho artesanal e muito cuidadoso.

Luzes para emocionar e atrair o público.

Cima de sonho.

A famosa Lafayette esta simplesmente linda!

Olha essa vitrine da Dior na Printemps, linda!

Tem vitrines mais rústicas também, mas sem perder o charme!


Na Bon Marché, a ideia foi fazer miniaturas das villes! Fofa!

É isso, meninas e que venha o Natal, bisou!

Livro: A Parisiense

 Salut les filles, estes dias comprei um livro super bacaninha, chama A Parisiense da Inés de la Fressange, uma empresária, escritora e modelo francesa.

O livro é um guia de estilo para quem curte le mode de vie de las parisiennes, eu que sou “pouco”  fã de tudo que é francês rsrs, comprei na hora!

Inés de la Fressange foi modelo da Chanel por mais de uma década!

Eu concordo com algumas coisas e de outras eu discordo super, até porque tenho meu próprio ponto de vista sobre a França também, pelas pessoas que eu conheço de lá e etc, mas assim olhando por cima posso tirar super liçõezinhas do livro:

 – A parisiense não usa todos os acessórios de uma vez. Fato, você vê muitas meninas sem brinco e com um anel enorme na mão ou o contrário: com brinco super estilosos e nada nas mãos. Elas centralizam a jóias em um ponto, ao contrário dos homens parisienses que amam por colares e pulseiras masculinos juntos (adorooo).

– Guarda tudo em caixas. Fato também, nunca vi um povo gostar tanto de caixa: é caixa de remédios, de make, de chá, de chocolates, de meias, de roupas intimas, de lembranças, rsrsrs, enfim é para otimizar espaços. Eles também não costumam ter coisas em excesso, mas adoram um bom bibelô ou lembrança exótica de viagem.

A modelos das fotos no livro é a filha mais velha de Inés: Nine.

– Uma bolsa para cada tipo de ocasião e só, tipo a bolsa de sair à noite, a bolsa de praia, a bolsa de trabalho e a bolsa de passeios à tarde.

– Cheap and chique colega! Um item de marca com outro de barraquinha de rua, pouco importa a marca, o que importa é o equilíbrio do look e se ele tem a ver com sua personalidade.

– Hidratar a pele e manter as unhas curtas e bem feitas. Nada de unhas do Zé do caixão, são bregas e temíveis. Mas, olha o bom senso, não corte a unha na cutícula rsrsr, mantenha em um comprimento que chegue nas pontas dos dedos: elegante e asseada.

-Para tomara-que-caia, sutiãs sem alça, e para regatas não há problemas em mostrar o sutiã: bem mais charmoso do que usar sutiã de alça transparente ou sutiã tomara-que-caia que vai marcar super!

– Usar sutiã sempreeeee!

– Dica de biquini: a parisiense se depila como brasileira mas não usa o biquini da carioca. Quem entendeu, ok rsrs.

– Sapatos que tem que ter: um par de sapatilhas, rasteirinhas, botas de montaria, salto preto e tênis.

Adorei que ela dá dica de que as parisienses amam buscar grifes criativas e acessíveis e fala de boas peças na rede Monoprix (ano passado comprei peças muito legais no de La Rochelle).

Um bom guarda-roupa deve ter peças baratas, de viagens e uma ou outra de luxo, sem ostentar preço.

O livro é ótimo, funciona bem como guia de estilo e até como decoração e guia de compras em Paris. Favor não seguir como uma bíblia até porque a maior verdade de La Fressange é que podemos ser nossa própria estilista e desenvolver o nosso estilo, e isto cabe inclusive para discordar do livro.

Minha impressão sobre as parisienses é que elas são chiquérrimas, práticas, racionais, delicadas, reservadas e conseguem andar de salto pelas ruas porque lá não tem ladeiras como as de São Paulo rsrs, ela são econômicas e não tem a menor vergonha de dizer isto.

 O livro de Inés de la Fressange é uma ótima para presentear as amigas, uma professora querida ou a si mesma!

Bisous!

La cuisigne

Oui, meus posts sobre a France vira e mexem surgem uahauhau, mas juro que estão acabando (snif). Aqui eu registrei alguns momentos culinários (quando lembrei ou quando estava com a máquina e quando não era muito king kong tirar foto do prato ou coisa assim uahauhau):

Fui no Angelina, que fica na Rue de Rivoli e segundo a lenda tem o melhor chocolate quente de toda a France. É bom, mas sinceramente: a França toda tem chocolates quentes incríveis. Ok, esse é muiiiito bom.

Pedi para acompanhar o chocolate-chaud uma especialidade da casa: Mont Blanc. Divino, overdose de doce mesmo! Por fora é uma massa de chocolate e dentro é recheado com um suspiro e chantilly e ingredientes secretos, obviamente.

Acreditam que eu nunca tinha comigo crumble? Não que eu me lembre pelo menos, amei! Esse é de frutas vermelhas. Veio de sobremesa em um menu de midi (menus fechados da hora do almoço por preços que variam de 10 a 15 euros e você monta seu cardápio de acordo com as opções indicadas).

Ravioli de queijo com creme de leite. Deusssssss, só de lembrar, já lambo os “beiço”, sério gente muito bom isso! O segredo dos franceses creio ser o molho, todos os molhos lá são muito bons.

Melhor torta salgada que comi na minha vida: torta de cebola com um queijo cujo nome não lembro 🙁

Um dos ambientes de um dos diversos restaurantes que fui. Esse é um italiano que fica em uma travessa na Rue de Buci. Aliás fica a dica da rua, que é uma das mais charmosas do mundo com certeza!

 Esse prato vegetariano junkie lol (sou vegetariana, mas não vegana) eu comi em um restaurante super bacana (onde os garçons falavam inglês) bem perto do Musée D´Orsay, na Rue de Bellechasse, a tipo meia quadra do museu.

Bebidas que acompanham toda a refeição francesa: água e vinho!
Saudades enormes de lá e dos pratos que não postei aqui que foram preparados por uma família de grandes amigos, que me fazem gostar tanto da France e vira e mexe falar do país por aqui. Bisous!

Paris – Automne/Hiver 2012/2013

Como sempre eu postando fotos da Fashion Week quase uma week depois (piadinha ruim :P), enfim, Paris, la mode et bla bli blu (como diria Joey Tribbiani aprendendo francês com Phoebe), alors, veremos:


Dois looks Miu Miu: adorei os casacos coloridos e diferentes. No primeiro gostei muito da sainha! O último é Chanel, gostei do casaco e do salto. Aliás é do desfile da Chanel a primeira foto do post. Desfile arte, e looks idem, tão artísticos que são quase inusáveis, por isso escolhi só este para por aqui.


Valentino: black, goth, power! Quero os três looks, o último especialmente, que sobretudo é esse minha gente?


Paco Rabanne: Cores sóbrias e recortes futuristas. Fica a dica do casaco branco que várias marcas usaram. Já adquiri um (não de Paris, mas ok)


Yves Saint Laurent: amoooo, os vestidos que lembram aquelas malhas das armaduras medievais – quero o terceiro já! E como não poderia deixar de ser o terninho do Yves, repaginado e poderoso, pensa nesse terno sendo usado com um salto vermelho e um batom idem, sai de baixo!


Valentino (amei muito tudo do Valentino e esse vestido com recorte 60 também) Lowe bem folk e Lanvin com pedrarias.


Balmain e os dois últimos Isabel Marant (s2 essa marca). A calça da Balmain arrasa por si só, mas tem que ser com uma combinação neutra como a feita na passarela.  Marant veio folk e abusou de tons de vinho. Adorei o vestidinho!


Roland Mouret, Chalayan e Alex Mabille. Vestidos bonito em moldes modernosos.


Lanvin, Giambattista Valli e Dior. Os três looks são super poderosos e sinceramente podem ser figurino de qualquer filme vampírico de adaptações da Anne Rice, ou seja o gótico super tá em alta.  E, já tivemos um post sobre isso aqui: http://www.rockandglamour.com.br/?p=382

Termino com um Nina Ricci lindo e atemporal.

Et, c´est tout cheries! Bisous!

Paris hiver 2012

Semana passada rolou em Paris a apresentação das coleções do outono inverno 2012. Vamos ver o que algumas das grifes mais famosas do mundo vão tendenciar?

Last week in Paris, rolled the presentation of the autumn winter 2012 collections. Let’s see what some of the world’s most famous brands will trend?

Jean Paul Gaultier.

Valentino.

Eliee Saab.

Jean Paul Gaultier, Lavin e Hermés.

Armani Privé.

Dior.

Mabille.

Chanel.

E aí, do que mais gostaram? A vantagem de estarmos no inverno é que já podemos começar a usar as tendencinhas antes do Norte!

And then, what else liked it? The advantage of being in the winter is that we can start using the trendys before the North!

Wish Look

Hey hey, faz tempinho que não falamos de moda por aqui, então lá vai um wish look:

Desde que fui para a França (há menos de dois meses, ah como “me manque”) eu quero porque quero uma perfecto vermelha, e essa é perfeita, linda, sexy, rock, vai ficar linda com um vestido preto, meia calça preta e bota cano longo preta, um visual perfeito, de cores básicas mas de material e modelagens diferentes para uma baladinha noturna: um vinho num pub, um cinema, uma festinha na casa de amigos ou um encontro romântico, bolsa… bom modelinho chanel básico lol
Esse look permite também quantos acessórios você quiser e te dá liberdade de cores, porque tirando o perfecto vermelho, tudo é preto rsrs, com esse look eu ia abalar Paris 😛
Juro que da próxima vez que ver uma perfecto vermelha não me escapa!