Zoológico de Luján – Argentina

DSC05859

Recentemente tive o prazer de conhecer Buenos Aires, e nessa viagem aproveitei para ir à  cidade de Lujan, para visitar o famoso zoológico, que fica a cerca de uma hora do centro de BA.

O vídeo mostra como chegar:

http://www.youtube.com/watch?v=nSH6mcxPgrc

O Zoológico tem diversos animais, a maioria deles ficam soltos dentro de alambrados e são bem dóceis:

DSC05813 DSC05822

DSC05823 DSC05824

O diferencial do Zoo Lujan é que você pode passar a mão, ter contato e até alimentar alguns dos animais, são eles: Leão, Tigres, Elefantes, Urso, Foca.

A pergunta que fica é: como isto é possível? O Zoo Lujan  informa que esses animais cresceram sempre com a presença do homem e de cachorros e que eles não nos veem como uma ameaça. Dentro das jaulas há sempre a presença de um cachorro junto com os tigres e leões e que este cachorro, digamos, impõem respeito, fazendo com que os animais fiquem mansos. Conforme o vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=K4DLuS7Ct90

Eu inclusive vi o fundador no Zoo treinando alguns tigrinhos:

DSC05884

Esse é o mapa do Zoo, que tem até área para fazer sua refeição:

mapa_zoologico_lujan

O primeiro animal que visitei foi o Elefante. São dois grandes animais com quase 20 anos de idade, trazidos de avião de um zoológico na Indonésia, em 1999. É possível alimenta-los com uma ração fornecida pelo tratador, com frutas. Você fica de costas para o Elefante, levanta os braços e o bicho pega o alimento de sua mão com a tromba, enquanto o treinador bate a foto. Depois os bichos também fazem poses para bater foto enquanto você encosta neles. Tive receio e o tratador muito divertido me disse pra ” não ser cagona”.

DSC05838

Depois vi a Foca, é possível dar peixinho, mas estava frio então evitei mexer com água, mas ela era bem simpática e acrobática:

DSC05847

Para entrar na jaula nos animais é necessário ter estatura e idade mínima, então não adianta levar as crianças que elas ficarão frustradas. Dentro da aula entra apenas um número reduzido de pessoas, junto com o tratador, no meu caso eu entrei sempre sozinha, pois estava só. Os animais estão constantemente sendo alimentados. Enquanto esperava na fila do tigre observei esse pavão sobre uma casinha:

DSC05850

Eu e o primeiro Tigre ( ainda um pouco receosa):

DSC05851

Tanto o Leão, quanto o urso nesse dia estavam um pouco mau humorados, então evitei ter contato próximo.

DSC05860

Tive o imenso prazer de fazer um cafuné nesse “Simba”, enquanto ele dormia.

DSC05863

Mais autoconfiante, decidi conhecer outros Tigres, a essa altura os visitantes do parque estavam desesperados com suas excursões que iam sair, por esse motivo, também, achei ótimo ir por conta, pois fui na hora que acordei e voltei quado achei conveniente, aproveitei o passeio ao máximo.

As filas já haviam diminuído e  pude com mais tempo alimentar com leitinho os Tigres:

DSC05874 DSC05875

Até ele sorriu para a foto:

DSC05877

Esse tava com sono, era albino, e gigante:

DSC05880 DSC05883

Antes de ir embora me despedi do macaquinho “Se beber não case”, esse sim estava preso, sem dúvida muito perigoso! Ficou dando risada e fazendo estripulias quando eu falava com ele, adorei.

DSC05825

O Zoo de Luján está aberto todos os dias, entre as 8h30 e as 19h30. O telefone de informações é (54 2323) 435 7380. Os ingressos custam  200 pesos argentinos por pessoa. Há várias formas de fazer a visita ao zoológico. É possível ir por conta própria, como eu, de ônibus ou táxi, comprar o pacote de alguma agência de turismo local ou ainda contratar o serviço de algum guia particular. Eu peguei o ônibus próximo à estação de metrô a Palermo, na Plaza Italia, em frente ao zoológico de Palermo, Linha 57, Atlântida. Valeu a pena comprar o cartão Sube, que é utilizado tanto para o ônibus como o metrô (15,00 pesos do cartão+passagens / 2,50 metrô e 16,50 ônibus para Luján), o cartão é vendido em pontos específicos, eu adquiri o meu em frente ao Obelisco, no centro,é necessário além do dinheiro um documento para cadastro, mas será útil em toda a viagem, pois é fácil utiizar os meios de transporte, que não são caros, mas sem o cartão só é possível pagar com moedas, as quais não vi na minha viagem. O trajeto foi tranquilo e demorou aproximadamente 01h15, o ônibus era bem confortável, de viagemPara voltar foi só esperar na esquina do Zoo, mas é bom perguntar se está no ônibus certo, eu ainda aproveitei para dormir um pouquinho e recarregar as energias durante a viagem de volta.