Bruxas Cibernéticas

419LUFXL-9L._SX331_BO1,204,203,200_Olá meninas, salve, salve!

Bom eu não tenho nem como expressar tudo o que aconteceu na minha vida nos últimos sete meses! Por isso sumi do blog por tanto tempo, mas voltei e com muitas novidades, e a primeira eu já compartilho com vocês agora:

Publiquei meu livro Bruxas Cibernéticas!

Sabe aquele ditado “no creo en las brujas, pero que las hay, las hay”, pois bem, elas existem, mas sem verrugas no nariz ou beijando bodes: a bruxa moderna tem como “livro das sombras” um laptop e sabe os dias de seus rituais com a ajuda de aplicativos, e sabe que poções de beleza podem muito bem ser aquele creme na farmácia.
Aqui o objetivo é  a revelação da existência da “bruxa cibernética”, delineando a relação de uma religião antiga – o paganismo matriarcal repaginado como Wicca – com a cibernética moderna, caso que  exemplifica como a Internet se tornou, não só um fenômeno dos tempos correntes, mas, a forma de existência e resistência das culturas e o meio de comunicação para qual tudo migra, tornando possível a iniciação ritual a partir do écran. Busca-se desvendar o processo de catequização de uma religião – tida como marginal – através da plataforma tecnológica com o uso de metodologia indutivo-dedutiva.

 

41PoXxTQeHL

A bruxa wicca é em grande número cibernética, pois está envolvida com as máquinas de comunicação. Ela, assim, quase que apenas depende do computador, tanto para pesquisa sobre sua religião, como para se contatar com outros adeptos. Depende também de revistas e livros para manter-se informada e buscar novas informações.
Cada vez mais, as pessoas buscam através das redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram gritar sua individualidade. Essa individualidade, porém, não surge personificada e solitária, ela se dá através da identificação em diversos grupos. O indivíduo se torna uno a partir das comunidades que integra e das pessoas com as quais estabelece relações.

Minha foto de divulgação:

patricia basseto bruxas
Para quem não sabe, sou mestre em Mídia e Tecnologia pela Unesp, documentarista (meu programa Ecoideias pode ser assistido todos os domingos às 10:00 na TV Brasil, dentro de O Brasil Tem Disso) e colaboradora de comunicação no Centro RIO+ Para o Desenvolvimento Sustentável da ONU.
O livro Bruxas Cibernéticas nasceu durante meus anos de graduação em Comunicação Social pela Unesp, graças ao meu interesse pela presença do sagrado feminino nas religiões, antropologia e comunicação, aliás sem meu orientador o professor Dr. Adenil Alfeu Domingos, este projeto não teria sindo como ele mesmo diz tão “lindo”, porque tive um grande mestre em símbolos da linguagem.
O livro pode ser encontrado aqui, e na versão e-book também, inclusive até grátis!