Ano Novo de novo!

mensagens-de-ano-novo

E lá se foi 2015, ano longo, pesado, de muitas mortes (r.i.p. Lemmy), crises, dores. Lógico que para alguém deve ter sido bom. Para mim foi o ano do descarrego: o ano de dar adeus para um ex folgado que insistia em mandar mensagens longas, chatas e que tentavam me por para baixo, de dar adeus para aquelas falsianes que se fingem de amigas, mas, querem mesmo é te sabotar ou fingir que é melhor, adeus a casa da minha mãe onde passei a infância e adolescência, para dar oi para um nova casa, mais iluminada e espaçosa. Não consegui dar adeus a duas coisas que queria muito se fossem logo, mas aos poucos entendo que tudo tem seu tempo. Consegui parar de fumar, mesmo! E isso é maravilhoso! Também voltei a tocar guitarra. Dei embora cerca de 80 peças de roupa. Caixas de objetos que não serviam mais e etc, tudo para que o novo venha e seja bem vindo.

download
A maior lição e mais dolorida de 2015, para mim, sagitariana que sou, foi aceitar que as pessoas não mudam se elas não quiserem mudar, e tem coisas e situações que por mais que nós nos esforcemos não adianta. Não adianta dar murro na ponta de faca. O mais saudável é não se demorar, não perder tempo onde não vale a pena, querer marcar presença, onde não fazem questão da sua. Valorize-se, ame-se, seja inteira, seja você, mas seja legal também rsrs!
Claro que você tem que se mexer, fazer sua parte, mas não fique obcecada nunca por uma pessoa ou uma coisa. Dê tudo de si e deixe fluir.
Aprendi também o mágico poder do não para outro e sim para si, do block no whataspp, do unfollow no Facebook. Tá estou parecendo meio chata, mas, as vezes é melhor se chata com os outros do que consigo mesma. Fique na sua vida com as pessoas que vale a pena, aquelas que te agregam, que te fazem sorrir, que te aconselham, que são verdadeiras com você. Não precisa ser amiga dos seus colegas de trabalho, seja profissional. Engoli muito sapo em 2015 e cuspi a maior parte deles. Aprendi com erros grotescos, alguns que cometi por puro desespero e carência, e aí aprendi que para não entrar nesse desespero é preciso se fortalecer, as vezes até se isolar. Não se abater, não se comparar. Não se compare. Nunca! Isso gera ansiedade e sofrimento desnecessários. Viva a sua vida com a perspectiva da única pessoa que importa: você! Não estou dizendo para ser egoísta, mas sim para se ouvir mais. No afã de ser altruísta me deixei para trás, mas, se quiser mudar o mundo, eu vou precisar mudar o meu mundinho primeiro. E é isso o que eu mais quero para 2016. Meu único desejo.

Esse foi um post desabafo, desengasgo de um ano tenso, mas que creio que plantei sementes que devem florescer sadias e felizes. Espero 2016 leve, esperançoso, com mais risadas e menos lágrimas, menos quilos e mais beijos! Feliz Ano Novo, cheio de ótimas oportunidades e muito amor!

3c6a6f52a366bb17056781a1b497586d